Available courses

Este Ambiente Virtual de Aprendizagem destina-se a complementar as atividades da Disciplina de Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem do Mestrado Profissional em Saúde Coletiva da FCMSCSP.

O Curso tem como objetivo aprofundar os conhecimentos  dos fundamentos de estatística, metodologia científica e epidemiologia e desenvolver leitura crítica de artigos científicos

 O método de ensino combina aulas expositivas dialogadas e estudo dirigido (leitura, vídeos e discussão), compreendendo uma parte presencial (17 hrs)  e uma parte a distância, realizada em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)

Justificativa

Segundo Waldman, 1991, a Vigilância Epidemiológica é um conjunto de ações “que tem como propósito fornecer orientação técnica permanente para os profissionais de saúde que têm a responsabilidade de decidir sobre a execução de ações de controle de doenças e agravos, bem como dos fatores que a condicionam, numa área geográfica ou população definida”.

As ações de Vigilância Epidemiológica visam produzir conhecimento a respeitos dos problemas de saúde e orientar a implementação de ações e medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos. Entende-se ainda que a VE produz subsídios importantes para o planejamento, a organização e a operacionalização dos serviços de saúde

A disciplina científica que embasa a VE é a Epidemiologia, que pode ser entendida como o estudo dos fatores que determinam a frequência e a distribuição das doenças nas coletividades humanas.

A Secretaria Municipal de Saúde de Santos busca com este curso de atualização em Epidemiologia aprimorar as competências técnicas e científicas do núcleo central da vigilância epidemiológica.

 

 Objetivo Geral

Capacitar profissionais técnicos do SUS que trabalham na área, para produção de informações e análise crítica, incorporando a epidemiologia no processo de gestão em saúde.

 

Objetivos Específicos 

  • Capacitar na utilização dos Sistemas de Informação do SUS para produção de indicadores de saúde
  • Propiciar a compreensão de aspectos conceituais e técnicos relativos a indicadores de saúde.
  • Aprimorar a capacidade de Análise de Situação da Mortalidade Infantil e  Materna e seus determinantes.
  • Instrumentalizar os alunos em relação a técnicas epidemiológicas e estatísticas básicas de análise de dados
  • Desenvolver o raciocínio científico e a utilização da literatura científica

 

CEALAG - Capacitação para linha de cuidado da gestante

 

A quem se destina o processo de desenvolvimento

 

Esse momento do projeto destina-se à capacitação de profissionais envolvidos na assistência à saúde da mulher nos serviços de atenção primária, serviços de referência à gestação de alto risco e maternidade em região prioritária da cidade, definidos pela gestão local.

 

Contexto

Tem como finalidade a diminuição da morbimortalidade de gestantes e recém-nascidos por meio do reconhecimento de fragilidades nos processos organizativos da atenção ao pré-natal, parto e puerpério e desenvolvimento de propostas de melhoria. o. A mortalidade neonatal é o componente da mortalidade infantil mais prevalente, no Estado e Município. Relaciona-se mais especificamente ao acesso ao parto de qualidade, embora a qualidade do pré-natal seja de extrema relevância para um desfecho neonatal positivo. O caminho percorrido do pré-natal ao parto, aparentemente tranquilo, tem na verdade demonstrado uma serie de obstáculos de fácil superação, mas que encontra na integração e continuidade entre serviços e equipes uma grande quantidade de desafios para a garantia da melhoria da assistência prestada a gestante e ao recém-nascido (RN).  

 

 

Objetivo geral

1. Fortalecer a qualidade da assistência ao pré-natal ao parto e ao puerpério  e contribuir para a redução da Mortalidade Materno Infantil, tendo como diretriz o Programa Nacional de Humanização.

Objetivos Específicos

1. Capacitar os profissionais da rede municipal de saúde que atuam na assistência ao pré-natal, ao parto e ao nascimento, nos diversos níveis de atenção, visando a qualificação e humanização na assistência a gestante e ao RN.

2. Ampliar as ações de humanização na assistência ao pré-natal ao parto e ao puerpério, através do reconhecimento de competências que garantam a escuta e demanda das gestantes e seus RN.

3. Definir ações e procedimentos relativos á organização e praticas no cotidiano dos serviços para atenção á gestante no município.

 

Estratégia:

Serão priorizados os serviços de saúde municipais que assistem mulheres residentes nas  Regiões Noroeste e dos Morros.  Realização de encontros com profissionais da rede básica, maternidade e instituto da mulher, que propiciem o reconhecimento dos principais obstáculos a serem superados para o enfrentamento da morbimortalidade infantil no município. Mediante o reconhecimento dos obstáculos e tendo como referencia os documentos e protocolos existentes no município e no país,os profissionais deverão detalhar as ações a serem desenvolvidas nos momentos-chave da linha de cuidado da gestante em sua unidade de saúde. Tal detalhamento levará em conta a realidade de cada unidade de saúde.

Os grupos deverão envolver a totalidade ou o maior numero possível de pessoas da equipe que assiste gestantes nas unidades básicas da região nos 2 períodos de atendimento. Além disso, deve contar com representantes estratégicos da maternidade e instituto da mulher, que são referencias para o atendimento de adolescentes e gestantes de risco e que deverão estar nos encontros realizados no período da manhã e tarde.

Finalizado este trabalho, um grupo constituído por profissionais representantes dos serviços será apoiado para sintetizar as ações e procedimentos pactuados para resolver os problemas identificados, e encaminhar a elaboração de documento complementar ao programa Mãe Santista, que esclareça pontos necessários.  ( Linha Guia)

 

Conteúdos

1. A partir da análise de casos concreto de óbitos infantis (caso traçador) identificados pelo município, serão destacadas duas ordens de problemas: possibilidade de melhoria na investigação dos casos e fragilidades no processo de trabalho no âmbito da Atenção Básica, sua inter-relação com a  maternidade e serviço de referência para atenção à gestação de alto risco.

2. O grupo selecionara pontos de atenção a serem trabalhados em sua unidade de trabalho para enfrentar algumas das fragilidades verificadas (plano aplicado). Documentos técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da saúde e Secretaria Municipal de Saúde serão utilizados para apoiar a elaboração das ações de intervenção. Essas deverão incluir o como fazer, quando fazer e quem é responsável por realizá-las.

Os conteúdos, portanto, serão desenvolvidos tendo como referencia documentos oficiais que apoiam as Políticas de Atenção a Saúde da Mulher e a Saúde da Criança. A abordagem dos temas afeitos à atenção a gestante e ao Recém Nascido buscará a competência profissional fundamentada no conhecimento técnico e nas perspectivas de autonomia da mulher e de humanização do atendimento.

 

Profissionais a serem capacitados

Todos profissionais médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, que assistem gestantes e puérperas na Atenção Básica/NASF, e gestantes puérperas e RN na maternidade e instituto da mulher.

 

Produtos Coletivos

1. Integração profissional entre serviços de atenção básica, maternidade e serviço de referencia com fortalecimento da linha de cuidado da gestante.

2. Ampliação da participação de profissionais no GT condutor da linha de cuidado na região e discussão dos desfechos relativos à morbimortalidade da criança e gestante.

3. Sistematização de protocolos e procedimentos e pactuados entre profissionais atuando na assistência e na gestão para melhoria da qualidade da assistência à gestante e ao RN.

4, Coletânea de documentos que definem o processo assistencial em pontos-chave da linha de cuidado da gestante em cada unidade de saúde, a ser entregue à Secretaria Municipal de Santos.

 

 

Produtos Individuais para cada profissional

Sistematização e desdobramentos da Linha Guia das ações  específicas de cada um dos profissionais e suas responsabilidades -  como será executada  e suas   contribuições junto à equipe para melhoria da qualidade da assistência á gestante e RN.

 

Processo de capacitação

Número de alunos: 100 alunos de nível superior envolvidos na assistência à gestante e RN.

Organização: os profissionais serão divididos em 4 turmas em cada um dos períodos. Esses grupos devem ser divididos de forma a possibilitar a participação  de profissionais representantes dos diferentes serviços que compõem a linha de cuidado ( atenção primaria, serviço de referencia e maternidade) 

 

 Duração do curso

Dois Cursos de 40 horas cada (4 horas/semana durante 10 semanas) com 2 turmas pela  manhã e 2 turmas a tarde

Formato dos cursos - 2 cursos pela manha e dois cursos á tarde, com 25 alunos cada para melhor rendimento dos trabalhos. O Curso terá 32 horas de fortalecimento da linha de cuidado e 8 horas para acompanhamento do GT de sistematização da linha guia, totalizando 40 horas de curso para cada grupo.

Estimativa de pessoal para acompanhamento dos cursos -  2 professores e  2  tutores do CEALAG

Plano de trabalho CEALAG 2016 – LC GESTANTE / SANTOS

Data

Primeiro Encontro

Objetivos

Duração

02/08/2016

1. Apresentação

1. Apresentar do grupo dos trabalhos

2. Apresentar proposta de trabalho

3. Definir a linha de cuidado com base no Programa Mãe Santista

4. Resgatar o quadro de morbimortalidade maternal e infantil

2 horas

 

 

 

 

 

 

2. Atividade

1. Identificar as condutas e fluxos frente  a suspeita de gravidez  e teste positivo;

Contracepção

Desdobramentos na UBS e Hospital; questões éticas X vigilância

 

01h30min  horas

 

3. Atividade dispersão e avaliação

1. Definir as atividades de dispersão

2. Proposição de síntese do dia  junto com profissionais da gestão.

 

30  minutos

 

Segundo Encontro

Objetivos

Duração

09/08/2016

1. Atividade

1. Fortalecer o fluxo de início do pré-natal;

2. Contracepção

3. Reconhecer obstáculos e facilidades pra contracepção

 4. Identificar profissionais que realizam as atividades

 E como se dão as consultas e solicitação de exames

 

3 horas

 

2. Atividade de dispersão

1. Definir as atividades de dispersão

2. Proposição de síntese do dia  junto com profissionais da gestão.

 

1 hora

 

 Terceiro encontro

Objetivos

Duração

23/08/2016

 1. Atividade

1. Identificar os processos de rastreamento do Pré-natal;

as atividades que o compõem, identificação de intercorrências  e comunicação entre serviços.

 

3 horas

 

2. Atividade de dispersão

1. Definir as atividades de dispersão

2. Proposição de síntese do dia  junto com profissionais da gestão.

 

1 hora

 

Quarto Encontro

Objetivos

Duração

30/08/2016

1.       Atividade

2.       Fatores relacionados ao parto prematuro

3.       Ações entre serviços de AB e outros pontos de atenção da linha de cuidado da gestante

3 horas

 

2. Atividade de dispersão

1.       Identificação e classificação de risco nos serviços

2.       Procedimentos

 

1 hora

 

Quinto Encontro

Objetivo

Duração

13/09/2016

1.       Atividade

2.       Identificação de risco

3.       Encaminhamentos, pactuação de referencia e contra-referência

 

3 horas

 

2.       Atividade de dispersão

1.       Organização de processos entre serviços

 

 

Sexto Encontro

Objetivos

Duração

20/09/2016

1.Atividade

3.       Apoio ao plano de parto

4.       Cuidados ao final da gestação e as atribuições dos diferentes serviços

5.       Processo  para encaminhamento ao parto  referência e a contra referencia para AB

6.       Sinais de alerta

3 horas

 

2. Atividade de dispersão

1. Definir as atividades de dispersão

2. Proposição de síntese do dia  junto com profissionais da gestão.

 

1 hora

 

Sétimo Encontro

Objetivos

Duração

04/10/16

1.       Atividade

2.       Trabalho e Parto o e Recepção da gestante na maternidade

3.       Compartilhamento de informações, condutas e orientações entre serviços e serviços e usuária.

 

3 horas

 

2.       Atividade de dispersão

1.       Organização dos processos entre serviços

1 hora

 

Oitavo Encontro

Objetivo

Duração

18/10/2016

1.       Atividade

 Interface Maternidade, UBS e outros serviços de referência.

Cuidado da mulher no puerpério;

Cuidados com RN;

 

3 horas

 

2.  Atividade de dispersão

1. Definir as atividades de dispersão

2. Proposição de síntese do dia junto com profissionais da gestão.

 

 

1 hora

 

Nono Encontro

Objetivo

Duração

25/10/2016

Atividade

1.       Reunião das informações sínteses

Discussão com GT e gestão sobre encaminhamentos para compilação dos dados em uma linha guia de procedimentos

8 horas

 

Decima semana

Objetivos

Duração

08/11/2016

Atividade

1.       Fechamento do documento síntese – Linha guia

2.       Proposição de monitoramento

3.       Desdobramentos

4.       AVALIAÇÃO

4 horas

 

 

Serão realizados dois cursos ( 1 período da manhã e 1 período da tarde)

Apoio  ao GT  - 8 horas

Avaliação com a gestão – 4 horas

 

Carga horária do curso - 32 horas